Comportamentos que realmente geram resultados

 

Muitos empresários, buscando o melhor resultado para seus empreendimentos, investem em processos, softwares, treinamentos técnicos e até em equipamentos e, em muitos casos, não atingem os resultados almejados.

1) Faça um planejamento estratégico

Infelizmente muitos acreditam que isto é coisa para inglês ver, quando na verdade isto é coisa para seguir e fazer valer. É no planejamento estratégico que são discutidos os fatores de sucesso da organização. Existem diversas ferramentas que podem ser aplicadas neste momento: 5w2h, matriz SWOT 2.0, 5 porquês, entre outros. Gosto de destacar 3 pontos cruciais: defina onde quer chegar e como quer chegar (missão); defina qual o motivo da existência da empresa (visão); defina o conjunto de crenças e valores (faça isso envolvendo os empregados existentes). Não opte por missão, visão e valores bonitos para emoldurar e dizer que tem – invista tempo e vá fundo nesta tarefa. Mais adiante você verá que todo o resto muda com certa frequência, menos isso. .

2) Defina as competências e habilidades necessárias

Antes de qualquer outro passo, defina quais os cargos necessários e o que é esperado de cada um deles. Defina as necessidades acadêmicas (competências) e as necessidades de experiência (habilidades). Neste momento não se preocupe com as pessoas que ocupam os cargos, mas sim com aquilo que a empresa precisa verdadeiramente. Se você olhar para as pessoas que ocupam os cargos poderá subestimar ou superestimar o que realmente é necessário.

3) Identifique os gaps

Use o que você definiu no passo anterior e, através de uma simples entrevista com cada colaborador, observe as lacunas nas competências e habilidades e crie um plano de treinamento para eliminá-las. Quando há falta de habilidade, a solução é expor o funcionário a situações práticas – dificilmente cursos resolvem este problema. Até este ponto, muitas empresas caminham sem muitas dificuldades – e, quando elas aparecem, existem dúzias de consultorias e centenas de literaturas que servem como apoio. Deste ponto em diante incluiremos itens que farão a grande diferença quando o assunto é atingir os resultados ou objetivos almejados.

4) Faça os valores permearem todos os níveis da organização

Este é um dos pontos mais importantes, pois trata-se das crenças corporativas e não há meio termo neste assunto, ou acredita-se ou não! Se você chegou a se perguntar o que fazer quando alguém não compartilha de alguma crença, a resposta pode ser desagradável, mas inevitável: demita! Manter pessoas no time que não compartilham dos valores é um erro grave. Veja a seguir algumas dicas para iniciar o processo de divulgação dos valores: • Prepare a liderança para falar sobre o assunto com embasamento e qualidade; • Crie quadros com imagens de fundo que remetam aos conceitos criados. Todos os departamentos devem ter uma cópia dos quadros em local visível; • Imprima as mesmas artes em tamanho menor (A4, por exemplo) e entregue a todos; • Forneça as artes em arquivo eletrônico para utilização como papel de parede; • Se a sua empresa possui um refeitório, crie “papéis bandeja” (jogo americano); • Anexe-os ao crachá, assinatura de e-mail etc. .

5) Incentive a tomada de decisão em todos os níveis

A dica mais importante neste passo é incentivar e reconhecer as decisões tomadas com base nas crenças e valores. Aqui começamos o processo de transformação comportamental – a ideia é que todas as pessoas ajam com base nos valores corporativos. Esteja preparado para problemas, nem todos irão acertar de primeira. Não estou sugerindo um sistema desorganizado e sem hierarquia, mas sim um ambiente onde todos são estimulados a resolver problemas. Estudos mostram que os resultados são melhor e alcançados de forma mais rápida quando o empregado se sente parte da solução (e mais ainda quando sugerem a solução).

6) Defina objetivos tangíveis de curto e médio prazos

Os objetivos de longo prazo são estratégicos e ferramentas de trabalho do primeiro escalão devem traduzi-los em metas de curtíssimo, curto e médio prazos. Faça isso em todos os departamentos da empresa – é fundamental que todos tenham algo tangível a buscar. O 5W2H é muito útil neste estágio do processo.

7) Descubra quais são os sonhos das pessoas

Isso mesmo, qual o grande sonho daqueles que trabalham em sua empresa? Qual o motivo de estarem aí, nesta empresa, fazendo o que fazem? Esta é uma informação valiosa e certamente ajudará a reprogramar o comportamento de cada indivíduo, fazendo com que trabalhe de modo a atingir o resultado cada vez mais. Lembre-se: muitas vezes as pessoas fazem em nome do líder ou de um ideal da empresa mas, na maioria dos casos, elas fazem pelos próprios sonhos! Em linhas gerais queremos que a somatória das realizações individuais seja a realização da empresa e o inverso é igualmente proporcional. O líder que usar com inteligência a informação preciosa, que é o sonho de cada liderado, conseguirá extrair novos comportamentos do time, que enxergarão os objetivos com uma ótica diferente.

8) Reconheça, recompense, gratifique seu time

O arroz com feijão não basta! Independentemente do tamanho da organização, sempre é possível inserir fatores variáveis na remuneração dos colaboradores. Faça isso de forma criativa. A dica aqui é sempre associar a remuneração extra a resultados alcançados, sejam individuais, departamentais ou corporativos. Isso certamente mudará o comportamento, fazendo com que os funcionários trabalhem com o sentimento de dono, cuidando de detalhes e se envolvendo verdadeiramente. Não é isso que você quer? Não se esqueça: resultados espetaculares merecem remuneração espetacular! Este sistema nunca trará prejuízos e sim mais lucro. A este ponto você já deve ter percebido que o modelo proposto não se aplica a organizações quadradas, conservadoras ou que fogem de paradigmas. A proposta é realmente adequar o comportamento corporativo ao comportamento moderno dos empregados que hoje, muito mais do que no passado, são donos de suas carreiras.

9) Ouse no ambiente de trabalho

Com toda certeza todos já ouviram falar nos super escritórios do Google, da Microsoft, do Facebook, da Zappos… mas ainda há quem pense que isso é coisa de empresa rica. Não, isso é coisa de empresa inteligente! Converse com seus funcionários, identifique o que eles gostariam de ter no ambiente de trabalho, certamente você descobrirá que a maior parte das ideias é simples e barata. Aí vão algumas dicas para transformar o ambiente de trabalho em algo que reprograma comportamentos: • Tenha uma sala de descanso bacana; • Compre um videogame de última geração; • Instale uma mesa de sinuca, pebolim, ping-pong, ou algo do tipo; • Contrate manicures, massagistas ou fisioterapeutas uma vez por semana; • Permita que personalizem a área de trabalho; • Instale geladeiras/frigobar e forneça pequenos lanches, petiscos. Estas ações atuam fortemente no consciente e subconsciente de todos, que passam a se preocupar mais com os resultados e, em função disso, alterarão seus comportamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *